terça-feira, 17 de março de 2009

Aquele momento...



Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Aquém e de Além Dor!

É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!

É ter fome, é ter sede de Infinito!
Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim...
É condensar o mundo num só grito!

E é amar-te, assim, perdidamente...
É seres alma, e sangue, e vida em mim
E dizê-lo cantando a toda a gente!




Sou feliz ao ver-te adormecer ao som destas palavras...




5 comentários:

Rapunzel disse...

Tu nao existes mesmo! Tá LINDO!!

Bjs

disse...

Bonito, bonito, bonito...

gimbras.nofuturo.com disse...

Grande sortudo... ter alguém a adormecer ao teu lado.

...Ju... disse...

pronto! agr esta tb nao me sai da cabeca... nem a recordação de uma das mais bonitas serenatas a que já assisti...

=)

concordo com o gimbras... sortudo!

Peruca de Tule disse...

:)

Ai... (Ler em suspiro enquanto se reviram os olhos)

S O B E R B O.

BeiJaçOoOOoO ;)