quinta-feira, 23 de outubro de 2008

??? (a resposta)

Menu
Mensagens
Escrever mensagem

"Eu também penso em ti.. Mas preferia não o fazer... Infelizmente há coisas que não se controlam.. Beijo e um óptimo dia para ti também fofinha.."

Opções
Enviar
Procurar
"xxxxxxxx"
Escolher
Ok


Sou um fraco...

17 comentários:

mimanora disse...

Os sentimentos não se controlam, mas há alguns que mandam mensagens a dizer "tenho de conseguir não pensar em ti"...
Podem explicar-me porquê?

Um gajo qualquer... disse...

No meu caso porque sei o enorme risco que corro de me magoar...

eva disse...

Diria que estás metido numa embrulhada... daquelas mesmo estranhas. E que nos deixam sem saber o que pensar. E com aquela sensação "perigosa" de poder perdoar tudo e mais alguma coisa ao outro, mesmo que ele, ou ela, neste caso, pareça não merecer...
E não me pareces um fraco, apenas alguém que sente alguma coisa especial por outro alguém. E que sabe responder... (e pronto, vou calar-me...)

Um gajo qualquer... disse...

Era essa a expressão que me faltava: "embrulhada... daquelas mesmo estranhas"!! :)
Não te cales Eva, não vens complicar... ;)

mimanora disse...

Quando se sente e se gosta de alguém nunca somos fracos nem existe lugar para sermos vencidos ou derrotados.
Sentimos e isso não se mede...

S. disse...

Já vi que há muitas bloguistas à tua volta gajo. E mais, que o teu coração já está ocupado...retiro-me...

Um gajo qualquer... disse...

Querida S.

Nem sei o que te responder...
Peço-te que não te retires, adoro os teus textos, gostava de poder continuar a lê-los. Não te conheço (acho eu) mas gostava de continuar a contar com as tuas "pancadas".

E não o meu coração não está ocupado, ele é muito grande (lol isto soa tão mal), há sim quem mexa com ele...

És e serás sempre bem-vinda.

Beijinho

S. disse...

Obrigado mas escrevia a tal 'ficção' para ti...assim sendo...fui

Um gajo qualquer... disse...

Obrigado S., escreves esses textos bem bonitos para mim e não me conheces...
Gostava mesmo que continuasses a escrever, não era só eu que gostava muito do que lia.
Isto sou eu a implorar por mais uma oportunidade...

Tita disse...

Uhhhh... tem clima (dito com sotaque brasileiro!)

S. eu também gostei muito... até me fez ir vasculhar nos meus textos velhinhos, de quando eu era uma adolescente revoltada...

Não pares de escrever, aliás, sugestão: porque não um blog?

Um gajo qualquer... disse...

"Tita" tentei convencer a "S." a criar um blog, mas não fui bem sucedido.

Quanto ao clima... Agora só se fôr céu nebulado com períodos de aguaceiros... ;)

Vá lá "S." não me deixes sem os teus textos, estou mesmo a implorar!!

...Ju... disse...

eu ja decidi que nao gosto de estar metida na embrulhada em que estou... uma parecida com a tua...

bjinho**

mimanora disse...

Sabes, isto dos sentimentos enerva-me.
Ontem recebi 3, sim 3 telefonemas dele!
Claro que fiquei toda a tremer, claro que não sabia se atendia ou não, claro que atendi e claro que o coração disparou!
Mas consegui ter uma conversa de amigo para amigo sem perguntas e a levar tudo para a parvoeirada.
Eu evito pensar ou seja o que for para não me magoar e quando já estou a ficar mais ou menos...ele volta à carga! Porquê?
Desculpa estar a fazer do teu espaço um pouco de confessionário, mas os teus posts das mensagens e a seguir os 3 telefonemas que recebi fizeram-me regressar aqui...
bjks

P.S.: S. continua a escrever, please.

eva disse...

Não me querendo intrometer, também peço à S. para voltar :)
Cada pessoa tem o seu lugar, mesmo que por vezes pense que não...

Um gajo qualquer... disse...

"Minanora" esse disparo do coração é desesperante...
O que me irrita é as pessoas sentirem que possuem o poder de mexer com as outras, e jogarem com isso!!

mimanora disse...

É mesmo, é esse jogo de quererem ter-nos na mão, de não nos deixarem partir para outros vôos que me irrita!
Pensam que lhes pertencemos, mesmo depois de não nos quererem.
E a irritação começa connosco próprios, porque a maioria de nós tem uma vida "normal", somos bons profissionais (não agora que estou na blogoesfera!), fazemos valer os nossos pontos de vista, andamos com tudo para a frente e depois com uma M**** de um telefonema... ficamos a tremer.
Vou é seguir o conselho de um amigo quando tive o meu 1º desgosto de amor (tinha 15 anos): um desgosto de amor cura-se com outro amor!
Tenho de partir para outra senão não vivo!

Ti disse...

Quando li isto lembrei-me logo do post de um amiga em que era referida uma citação do Pedro Mexia. Deixo-te aqui "Eu esqueço facilmente o mal que me fazem. Mas nunca perdoo o bem com que me iludem" *